quarta-feira, 11 de novembro de 2009

Florbela Espanca

Ódio?

Ódio por ele? Não... Se o amei tanto,
Se tanto bem lhe quis no meu passado,
Se o encontrei depois de o ter sonhado,
Se à vida assim roubei todo o encanto...

Que importa se mentiu? E se hoje o pranto
Turva o meu triste olhar, marmorizado,
Olhar de monja, trágico, gelado
Como um soturno e enorme Campo Santo!

Ah! nunca mais amá-lo é já bastante!
Quero senti-lo d’outra*, bem distante,
Como se fora meu, calma e serena!

Ódio seria em mim saudade infinda,
Mágoa de o ter perdido, amor ainda.
Ódio por ele? Não... não vale a pena...

* Escusa é de ser gira, loira, magra e de olhos azuis, tá?! lol

4 comentários:

Floribela disse...

Olha o poema desta fru fru.

Rosinha disse...

Gosto desta mulher!

Coelha disse...

Desculpa lá...
Mas a Florbela é muito prá frentex!
Quer ve-lo com outra?
Ai eu nao quero nao... Se tal acontecer nem quero ver...
Para nao correr o risco de amarrar uma corda ao pescoço e aí vai Coelha...
Na na na... Sozinho ta melhor... Acho eu lool
Beijinhos*

Cláudia disse...

Pode ser loira e gira e tudo e tudo...mas de certeza que é burra! Por isso podes-te rir, porque ele ficou a perder...E MUITO!

Beijo Grande